Umbanda - Loja Flor do Universo - Esoterismo, Ervanária 
Sites Grátis no Comunidades.net
MENSAGENS DOS PRETOS-VELHOS DA UMBANDA
MENSAGENS DOS PRETOS-VELHOS DA UMBANDA

Todos os Umbandistas deveriam LER!!! Adorei às Almas...Salve 13 de MaioFoto: Todos os Umbandistas deveriam LER!!! Adorei às Almas...Salve 13 de Maio <3 A Vitória


Guilherme estava indo para o centro umbandista que freqüentava há pouco mais de seis meses e onde ocorreria, naquela noite, uma gira de preto-velho em que ele teria a gratificante oportunidade de cambonar mais uma vez a Pai Guiné do Congo.

Guilherme era um jovem universitário que procurava desenvolver as atividades do centro com a maior boa-vontade possível.

Auxiliava àqueles que eram atendidos pelo preto-velho e sempre, após o último atendimento, Pai Guiné solicitava ao jovem que sentasse a sua frente para trocarem alguns “dedos de prosa”. Eram nestes momentos que Guilherme mostrava à entidade o sentimento e a idéia de que ser umbandista é ser sempre um vitorioso, como podemos observar no diálogo que se segue:

— Salve Zambi, menino Guilherme! Como vai suncê?

— Salve Deus, Pai Guiné!!! Melhor do que estou seria impossível!!!

— E, por que, zifio?

— Desde que entrei na Umbanda só conheci vitórias: minhas notas melhoraram, parei de farrear e encontrei uma menina incrível pra namorar que é médium da corrente deste terreiro.

— Olha zifio, Nêgo fica feliz com sua alegria no desabrochar de sua descoberta de qual é a real felicidade de ser umbandista.

— Olha meu pai-velho, para mim, ser umbandista é ser vitorioso sempre e, se Deus quiser, eu vou vencer ainda mais nesta vida!!!

— Zifio, de fato, ser umbandista é ser vitorioso sempre, desde que se saiba o que é vitória!

— Como?

— O que é vitória pra suncê, meu filho?

— Para mim vitória é vencer, alcançar aquilo que se quer!!!

— Suncê inté que tá certo, mas como se vai saber se aquilo que suncês quer, é aquilo que vai fazer suncês vencer???

— Não entendi!!!

— A sabedoria meu menino!!! É ela o instrumento com que Deus dotou cada ser humano afim de que ele, ao exercê-la, seja sempre um vitorioso em qualquer situação que enfrente na vida.

— Ainda não consegui entender, Pai Guiné!!! O senhor está meio enigmático hoje!!!

— Num se preocupe não zifio, pois nas forças de Zambi no tempo certo suncê há de entender!!! Agora Nêgo deve dizer que tá muito ditoso com o namoro entre suncê e a “cavalinha” Gabrielle!

— Mesmo?

— Sim meu fio, pois ela é uma fia tão formosa que é capaz de fazer os zifios crescer moralmente só pelo fato de estarem juntos dela e aprenderem com seus exemplos práticos de amor, bondade e caridade!!!

— Para mim ela é quase uma santa!!!

— É por que suncê só tá vendo ela, nestes três meses de relacionamento, com os olhos do amor, mas em breve o tempo o fará vê-la como é: imperfeita, mas portadora de virtudes morais e edificantes!!!

— Se o senhor diz, eu acredito, mas será que eu poderia tocar em um outro assunto?

— Fique a vontade zifio!!!

— É que eu gostaria de uma ajuda para alcançar mais uma vitória através da Umbanda!

— Qual ajuda?

— É que eu estou muito interessado em uma vaga de estágio numa grande firma de advocacia!

— Vamos ver né zifio, pois só Zambi Nosso Pai é que pode todas as coisas!!!

Guilherme continuou cambonando a entidade e três semanas após o diálogo em questão podemos vê-lo travar uma nova conversa com Pai Guiné do Congo:

—Puxa vovô, eu estou muito feliz por ter obtido minha vitória!!!

— Conseguiu a vaga zifio?

— Graças a Deus, alcancei minha vitória!!!

— Peça sempre sabedoria a Zambi para que esta vitória não seja uma derrota na sua vida!

— Pode deixar vovô, pode deixar!!!

Um ano após esta conversa, encontraremos Guilherme a ter uma nova conversa com o preto-velho:

— Pai Guiné, continuo vencendo na Umbanda, alcancei nova vitória!!!

— Como assim, zifio?

— Comprei um carro usado, mas que está tão bonito e ajeitado que parece novo, agora a vida vai ficar mais fácil com esta minha conquista!

— Zifio, peça sempre sabedoria a Zambi para que esta vitória não seja uma derrota na sua vida!!!

— Pode deixar vovô, pode deixar!!!

Três meses após esta prosa lá estava o jovem Guilherme em mais um “bate-papo” com Pai Guiné:

— Vovô, é capaz até de o senhor ficar triste, mas eu consegui vencer de novo por meio da Umbanda!!! Terminei com a Gabrielle e estou namorando com uma menina da minha turma na faculdade e que me entende melhor; o nome dela é Valquíria.

— Zifio, peça sempre sabedoria a Zambi para que essa vitória não seja uma derrota na sua vida!!!

— Pode deixar vovô, pode deixar!!!

Quatro meses depois Guilherme, abatido, estava novamente a dialogar com o pai-velho:

— Pai Guiné, tive minha primeira derrota desde que sou umbandista!

— Conta pra Nêgo o que aconteceu, meu menino!!!

— Olha, sem eu dar motivo algum, fui dispensado do meu estágio!!!

— Zifio, peça a Zambi nosso Pai que faça você ver a vitória que esta derrota é na sua vida!!!

— Como?

— O umbandista é sempre vitorioso zifio!!! Lembra quando nóis conversou sobre isso?

— Lembro sim vovô! Pode deixar que eu vou fazer isto vovô, pode deixar!!!

Três semanas após, Guilherme está outra vez em frente a Pai Guiné a dizer-lhe:

— Pai Guiné, apesar das minhas rogativas a Deus o meu pai desenvolveu uma grave doença e não tem muitas chances de cura!!!

— E na visão de suncê isto é uma vitória ou uma derrota?

Guilherme pensou profundamente antes de responder a entidade, mas só conseguiu dizer:

— Desculpa Pai Guiné, mas para mim é uma derrota!

— Num precisa se desculpar zifio, Nêgo gostou da sinceridade!!! Mas peça a Zambi nosso pai que faça você ver a vitória que esta derrota é na sua vida!!!

— Eu vou fazer!!! Pode deixar vovô, pode deixar!!!

Cinco meses depois Guilherme está de frente a Pai Guiné para ter com ele aquela que, na opinião do jovem, seria a última conversa que teria com a entidade:

— Vovô, graças a Deus, o meu pai já está praticamente curado, mas é que eu acabo de sofrer a maior derrota da minha vida e vim até aqui comunicar ao senhor que vou pedir desligamento do terreiro hoje!!!

Guilherme chorava muito e o pranto era copioso. Pai guiné estalava os dedos enquanto aguardava as emoções do seu pupilo serenarem. Poucos minutos depois a entidade retomou o diálogo:

— Suncê pode dizer pra Nêgo que derrota foi essa meu fio?

— Para que vovô? Para o senhor dizer que a minha derrota é vitória?

— Se o zifio tá zangado e for pra aliviar a dor do seu coração, suncê ta autorizado a fazer malcriação com Nêgo até ficar aliviado, mas depois que suncê tiver falado tudo; Nêgo vai pedir silêncio para que suncê possa escutar tudo o que ele tem a dizer, tudo bem?

— Desculpe Pai Guiné, o senhor pode falar agora que eu escutarei!!!

— Suncê tem certeza?

— Sim senhor!!!

— Então Nêgo vai conversar com suncê, meu menino!!! O zifio tá zangado por que a “rabo-de-saia” Valquiria, vendo que não tinha mais o que sugar de suncê, terminou o namoro, não é?

Boquiaberto, Guilherme respondeu:

— Sim senhor!

— Suncê num tem mais o carro porque teve que vender para ajudar no tratamento do seu pai, não tem mais dinheiro por que está sem emprego; e sem carro e sem dinheiro ela não te quis mais, não é verdade?

— Sim senhor!

— E isto foi uma derrota ou uma vitória em sua vida?

— Agora com o senhor falando assim deste jeito eu, sinceramente, não sei!!!

— Então vamos começar do inicio, certo???

— Certo!

— Um tempo atrás suncê procurou Nêgo pra dizer que tinha conseguido uma vitória que Nêgo sentia que poderia ser uma derrota em sua vida, lembra???

— A vaga de estágio na firma conceituada de advocacia?

— Exatamente!!! Esta vitória não deveria, mas foi uma derrota na sua vida pelo que o motivou prioritariamente a alcançá-la!!!

— Como?

— Comprar um carro, não era o que suncê mais queria?

— Mas isso é ruim?

— Depende do que motiva prioritariamente uma pessoa a adquirir um carro, o que nos leva a segunda vitória que não deveria, mas foi uma derrota em sua vida!!!

— Como?

— Não foi o desejo ardente de impressionar Valquiria e tê-la apenas para si que o motivou prioritariamente a comprar o carro?

— Sim, mas isto é ruim???

— Zifio, isso levou suncê a terceira vitória que não deveria, mas foi uma derrota em sua vida!

— Como assim?

— O desejo de impressionar e ter para si uma mulher de beleza rara e extasiante foi o que fez você abrir mão do relacionamento com a fia Gabrielle, certo?

Boquiaberto, novamente, Guilherme respondeu:

— Sim senhor!

— Suncê abandonou uma fia que só fazia compartilhar para ficar com outra que só queria tudo pra si, isso foi derrota ou vitória?

— Meu Deus!!! Foi por isso que fui mandado embora do estágio: por estar fazendo tudo errado!!! Por isso eu tive minha primeira derrota!!!

— Menino Guilherme, aquilo que suncê chama de primeira derrota foi, na realidade, sua primeira vitória!

— Mas, por quê?

— Por que você estar desempregado proporcionou-lhe a oportunidade de assistir melhor e por mais tempo ao seu pai na ocasião do adoecimento dele!

— Meu Deus!!! Olhando por este lado eu vejo que o senhor tem razão!!!

— E, quando seu pai adoeceu, aconteceu aquilo que suncê chamou de segunda derrota, mas que foi, na verdade, sua segunda vitória.

— Vitória? A doença do meu pai foi vitória?

— Não, mas proporcionou-lhe uma sensibilização na sua vida que o ajudou a sentir e pensar a vida e o amor de uma forma moralmente mais elevada, ou não é verdade que você quase terminou o relacionamento com a Valquiria por três vezes, devido ao excesso de materialismo por parte dela?

— É verdade vovô, é verdade!!!!

— Suncê foi intuído por seus mentores para terminar o relacionamento com ela, mas como a beleza e o envolvimento carnal foram maiores que o seu bom senso, eis que suncê obteve a sua terceira vitória que foi o término da relação só que por iniciativa dela; e logo agora que suncê tá tão perto de conseguir uma vitória crucial pra sua evolução, suncê pensa em largar a sua fé? Nêgo num entende!!!!

— Vitória? Vitória sobre o que? Sobre o desemprego? Sobre o desamor?

— Não meu menino, nas forças de Zambi, há de ser uma vitória sobre suncê mesmo: sobre suas más tendências, sobre a ilusão da matéria e sobre sua ignorância acerca da beleza do espírito. Vitória não é só conseguir o que se deseja, pois se suncê pedir a Zambi e desenvolver a sabedoria, suncê verá a real vitória em todas as situações de sua vida: até mesmo nas derrotas aparentes, suncê entende meu fio?

— Estou entendendo vovô!!!

— Sem sabedoria vencer é só alcançar aquilo que suncês quer, já com sabedoria vencer é encarar as dificuldades da vida como oportunidades sagradas de Deus para a evolução de suncês, pois se isto for alcançado a vitória é certeira, mesmo que aos olhos do mundo seja a mais flagrante derrota, suncê entende?

— Estou entendendo, sim senhor!!!

— Por isso o verdadeiro umbandista vence sempre: por que pede sempre a Zambi que o faça enxergar todas as situações da vida com a visão espiritual da sabedoria!

— É verdade vovô!!!

— Neste mundo tão materializado e ilusório somente o olhar da sabedoria espiritual pode vislumbrar os caminhos que levam suncês a real vitória que, por sua vez, não é aquela sobre o próximo ou sobre a carne, mas sobre suncês mesmos, suncê entende meu menino?

— Sim senhor!!!

— Suncê ainda quer sair do terreiro pelo que lhe parece uma derrota? Ou quer continuar na sua fé aprendendo, a cada gira, a enxergar os fatos com a visão espiritual através dos “óculos” que vem da sabedoria infinita de Zambi nosso pai?

E com o coração e a mente transformados pela misericórdia de Deus foi que Guilherme respondeu:

— Eu fico com Deus, fico com o senhor, fico com Jesus, fico com os orixás, fico com a Umbanda e tudo com muita felicidade!

E talvez para trazer um pouquinho mais de paz para o coração de Guilherme, foi que Pai Guiné do Congo lhe disse:

— Vamos aprender a vencer sempre?

— Vamos, mas como?

— Fazendo aquilo que Nêgo explicou pra suncê: pedindo a Zambi nosso pai o desenvolvimento da sabedoria!

— Mas como é que se faz isso?

— Tem um jeito muito simples, que foi ensinado pelo próprio mestre Jesus!

— É uma prece?

— É!

— O senhor me ensina?

— A prece fio já conhece, agora o fio deve começar a fazê-la direcionando-a não mais apenas pela memória, mas pelo pensar e pelo coração. Suncê ta pronto?

— Sim senhor!!!

— Então vamos: feche os olhos, relaxe o corpo, esvazie sua mente, concentre-se nas batidas de seu coração e chame Deus para junto de si conectando-se a Ele através da seguinte prece:

“Pai nosso que estais no céu,
santificado seja Vosso nome,
venha a nós o vosso reino,
seja feita a Vossa vontade,
assim na terra como nos céus…”


Texto escrito por Pedro Rangel.

A Vitória


Guilherme estava indo para o centro umbandista que freqüentava há pouco mais de seis meses e onde ocorreria, naquela noite, uma gira de preto-velho em que ele teria a gratificante oportunidade de cambonar mais uma vez a Pai Guiné do Congo.

Guilherme era um jovem universitário que procurava desenvolver as atividades do centro com a maior boa-vontade possível.

Auxiliava àqueles que eram atendidos pelo preto-velho e sempre, após o último atendimento, Pai Guiné solicitava ao jovem que sentasse a sua frente para trocarem alguns “dedos de prosa”. Eram nestes momentos que Guilherme mostrava à entidade o sentimento e a idéia de que ser umbandista é ser sempre um vitorioso, como podemos observar no diálogo que se segue:

— Salve Zambi, menino Guilherme! Como vai suncê?

— Salve Deus, Pai Guiné!!! Melhor do que estou seria impossível!!!

— E, por que, zifio?

— Desde que entrei na Umbanda só conheci vitórias: minhas notas melhoraram, parei de farrear e encontrei uma menina incrível pra namorar que é médium da corrente deste terreiro.

— Olha zifio, Nêgo fica feliz com sua alegria no desabrochar de sua descoberta de qual é a real felicidade de ser umbandista.

— Olha meu pai-velho, para mim, ser umbandista é ser vitorioso sempre e, se Deus quiser, eu vou vencer ainda mais nesta vida!!!

— Zifio, de fato, ser umbandista é ser vitorioso sempre, desde que se saiba o que é vitória!

— Como?

— O que é vitória pra suncê, meu filho?

— Para mim vitória é vencer, alcançar aquilo que se quer!!!

— Suncê inté que tá certo, mas como se vai saber se aquilo que suncês quer, é aquilo que vai fazer suncês vencer???

— Não entendi!!!

— A sabedoria meu menino!!! É ela o instrumento com que Deus dotou cada ser humano afim de que ele, ao exercê-la, seja sempre um vitorioso em qualquer situação que enfrente na vida.

— Ainda não consegui entender, Pai Guiné!!! O senhor está meio enigmático hoje!!!

— Num se preocupe não zifio, pois nas forças de Zambi no tempo certo suncê há de entender!!! Agora Nêgo deve dizer que tá muito ditoso com o namoro entre suncê e a “cavalinha” Gabrielle!

— Mesmo?

— Sim meu fio, pois ela é uma fia tão formosa que é capaz de fazer os zifios crescer moralmente só pelo fato de estarem juntos dela e aprenderem com seus exemplos práticos de amor, bondade e caridade!!!

— Para mim ela é quase uma santa!!!

— É por que suncê só tá vendo ela, nestes três meses de relacionamento, com os olhos do amor, mas em breve o tempo o fará vê-la como é: imperfeita, mas portadora de virtudes morais e edificantes!!!

— Se o senhor diz, eu acredito, mas será que eu poderia tocar em um outro assunto?

— Fique a vontade zifio!!!

— É que eu gostaria de uma ajuda para alcançar mais uma vitória através da Umbanda!

— Qual ajuda?

— É que eu estou muito interessado em uma vaga de estágio numa grande firma de advocacia!

— Vamos ver né zifio, pois só Zambi Nosso Pai é que pode todas as coisas!!!

Guilherme continuou cambonando a entidade e três semanas após o diálogo em questão podemos vê-lo travar uma nova conversa com Pai Guiné do Congo:

—Puxa vovô, eu estou muito feliz por ter obtido minha vitória!!!

— Conseguiu a vaga zifio?

— Graças a Deus, alcancei minha vitória!!!

— Peça sempre sabedoria a Zambi para que esta vitória não seja uma derrota na sua vida!

— Pode deixar vovô, pode deixar!!!

Um ano após esta conversa, encontraremos Guilherme a ter uma nova conversa com o preto-velho:

— Pai Guiné, continuo vencendo na Umbanda, alcancei nova vitória!!!

— Como assim, zifio?

— Comprei um carro usado, mas que está tão bonito e ajeitado que parece novo, agora a vida vai ficar mais fácil com esta minha conquista!

— Zifio, peça sempre sabedoria a Zambi para que esta vitória não seja uma derrota na sua vida!!!

— Pode deixar vovô, pode deixar!!!

Três meses após esta prosa lá estava o jovem Guilherme em mais um “bate-papo” com Pai Guiné:

— Vovô, é capaz até de o senhor ficar triste, mas eu consegui vencer de novo por meio da Umbanda!!! Terminei com a Gabrielle e estou namorando com uma menina da minha turma na faculdade e que me entende melhor; o nome dela é Valquíria.

— Zifio, peça sempre sabedoria a Zambi para que essa vitória não seja uma derrota na sua vida!!!

— Pode deixar vovô, pode deixar!!!

Quatro meses depois Guilherme, abatido, estava novamente a dialogar com o pai-velho:

— Pai Guiné, tive minha primeira derrota desde que sou umbandista!

— Conta pra Nêgo o que aconteceu, meu menino!!!

— Olha, sem eu dar motivo algum, fui dispensado do meu estágio!!!

— Zifio, peça a Zambi nosso Pai que faça você ver a vitória que esta derrota é na sua vida!!!

— Como?

— O umbandista é sempre vitorioso zifio!!! Lembra quando nóis conversou sobre isso?

— Lembro sim vovô! Pode deixar que eu vou fazer isto vovô, pode deixar!!!

Três semanas após, Guilherme está outra vez em frente a Pai Guiné a dizer-lhe:

— Pai Guiné, apesar das minhas rogativas a Deus o meu pai desenvolveu uma grave doença e não tem muitas chances de cura!!!

— E na visão de suncê isto é uma vitória ou uma derrota?

Guilherme pensou profundamente antes de responder a entidade, mas só conseguiu dizer:

— Desculpa Pai Guiné, mas para mim é uma derrota!

— Num precisa se desculpar zifio, Nêgo gostou da sinceridade!!! Mas peça a Zambi nosso pai que faça você ver a vitória que esta derrota é na sua vida!!!

— Eu vou fazer!!! Pode deixar vovô, pode deixar!!!

Cinco meses depois Guilherme está de frente a Pai Guiné para ter com ele aquela que, na opinião do jovem, seria a última conversa que teria com a entidade:

— Vovô, graças a Deus, o meu pai já está praticamente curado, mas é que eu acabo de sofrer a maior derrota da minha vida e vim até aqui comunicar ao senhor que vou pedir desligamento do terreiro hoje!!!

Guilherme chorava muito e o pranto era copioso. Pai guiné estalava os dedos enquanto aguardava as emoções do seu pupilo serenarem. Poucos minutos depois a entidade retomou o diálogo:

— Suncê pode dizer pra Nêgo que derrota foi essa meu fio?

— Para que vovô? Para o senhor dizer que a minha derrota é vitória?

— Se o zifio tá zangado e for pra aliviar a dor do seu coração, suncê ta autorizado a fazer malcriação com Nêgo até ficar aliviado, mas depois que suncê tiver falado tudo; Nêgo vai pedir silêncio para que suncê possa escutar tudo o que ele tem a dizer, tudo bem?

— Desculpe Pai Guiné, o senhor pode falar agora que eu escutarei!!!

— Suncê tem certeza?

— Sim senhor!!!

— Então Nêgo vai conversar com suncê, meu menino!!! O zifio tá zangado por que a “rabo-de-saia” Valquiria, vendo que não tinha mais o que sugar de suncê, terminou o namoro, não é?

Boquiaberto, Guilherme respondeu:

— Sim senhor!

— Suncê num tem mais o carro porque teve que vender para ajudar no tratamento do seu pai, não tem mais dinheiro por que está sem emprego; e sem carro e sem dinheiro ela não te quis mais, não é verdade?

— Sim senhor!

— E isto foi uma derrota ou uma vitória em sua vida?

— Agora com o senhor falando assim deste jeito eu, sinceramente, não sei!!!

— Então vamos começar do inicio, certo???

— Certo!

— Um tempo atrás suncê procurou Nêgo pra dizer que tinha conseguido uma vitória que Nêgo sentia que poderia ser uma derrota em sua vida, lembra???

— A vaga de estágio na firma conceituada de advocacia?

— Exatamente!!! Esta vitória não deveria, mas foi uma derrota na sua vida pelo que o motivou prioritariamente a alcançá-la!!!

— Como?

— Comprar um carro, não era o que suncê mais queria?

— Mas isso é ruim?

— Depende do que motiva prioritariamente uma pessoa a adquirir um carro, o que nos leva a segunda vitória que não deveria, mas foi uma derrota em sua vida!!!

— Como?

— Não foi o desejo ardente de impressionar Valquiria e tê-la apenas para si que o motivou prioritariamente a comprar o carro?

— Sim, mas isto é ruim???

— Zifio, isso levou suncê a terceira vitória que não deveria, mas foi uma derrota em sua vida!

— Como assim?

— O desejo de impressionar e ter para si uma mulher de beleza rara e extasiante foi o que fez você abrir mão do relacionamento com a fia Gabrielle, certo?

Boquiaberto, novamente, Guilherme respondeu:

— Sim senhor!

— Suncê abandonou uma fia que só fazia compartilhar para ficar com outra que só queria tudo pra si, isso foi derrota ou vitória?

— Meu Deus!!! Foi por isso que fui mandado embora do estágio: por estar fazendo tudo errado!!! Por isso eu tive minha primeira derrota!!!

— Menino Guilherme, aquilo que suncê chama de primeira derrota foi, na realidade, sua primeira vitória!

— Mas, por quê?

— Por que você estar desempregado proporcionou-lhe a oportunidade de assistir melhor e por mais tempo ao seu pai na ocasião do adoecimento dele!

— Meu Deus!!! Olhando por este lado eu vejo que o senhor tem razão!!!

— E, quando seu pai adoeceu, aconteceu aquilo que suncê chamou de segunda derrota, mas que foi, na verdade, sua segunda vitória.

— Vitória? A doença do meu pai foi vitória?

— Não, mas proporcionou-lhe uma sensibilização na sua vida que o ajudou a sentir e pensar a vida e o amor de uma forma moralmente mais elevada, ou não é verdade que você quase terminou o relacionamento com a Valquiria por três vezes, devido ao excesso de materialismo por parte dela?

— É verdade vovô, é verdade!!!!

— Suncê foi intuído por seus mentores para terminar o relacionamento com ela, mas como a beleza e o envolvimento carnal foram maiores que o seu bom senso, eis que suncê obteve a sua terceira vitória que foi o término da relação só que por iniciativa dela; e logo agora que suncê tá tão perto de conseguir uma vitória crucial pra sua evolução, suncê pensa em largar a sua fé? Nêgo num entende!!!!

— Vitória? Vitória sobre o que? Sobre o desemprego? Sobre o desamor?

— Não meu menino, nas forças de Zambi, há de ser uma vitória sobre suncê mesmo: sobre suas más tendências, sobre a ilusão da matéria e sobre sua ignorância acerca da beleza do espírito. Vitória não é só conseguir o que se deseja, pois se suncê pedir a Zambi e desenvolver a sabedoria, suncê verá a real vitória em todas as situações de sua vida: até mesmo nas derrotas aparentes, suncê entende meu fio?

— Estou entendendo vovô!!!

— Sem sabedoria vencer é só alcançar aquilo que suncês quer, já com sabedoria vencer é encarar as dificuldades da vida como oportunidades sagradas de Deus para a evolução de suncês, pois se isto for alcançado a vitória é certeira, mesmo que aos olhos do mundo seja a mais flagrante derrota, suncê entende?

— Estou entendendo, sim senhor!!!

— Por isso o verdadeiro umbandista vence sempre: por que pede sempre a Zambi que o faça enxergar todas as situações da vida com a visão espiritual da sabedoria!

— É verdade vovô!!!

— Neste mundo tão materializado e ilusório somente o olhar da sabedoria espiritual pode vislumbrar os caminhos que levam suncês a real vitória que, por sua vez, não é aquela sobre o próximo ou sobre a carne, mas sobre suncês mesmos, suncê entende meu menino?

— Sim senhor!!!

— Suncê ainda quer sair do terreiro pelo que lhe parece uma derrota? Ou quer continuar na sua fé aprendendo, a cada gira, a enxergar os fatos com a visão espiritual através dos “óculos” que vem da sabedoria infinita de Zambi nosso pai?

E com o coração e a mente transformados pela misericórdia de Deus foi que Guilherme respondeu:

— Eu fico com Deus, fico com o senhor, fico com Jesus, fico com os orixás, fico com a Umbanda e tudo com muita felicidade!

E talvez para trazer um pouquinho mais de paz para o coração de Guilherme, foi que Pai Guiné do Congo lhe disse:

— Vamos aprender a vencer sempre?

— Vamos, mas como?

— Fazendo aquilo que Nêgo explicou pra suncê: pedindo a Zambi nosso pai o desenvolvimento da sabedoria!

— Mas como é que se faz isso?

— Tem um jeito muito simples, que foi ensinado pelo próprio mestre Jesus!

— É uma prece?

— É!

— O senhor me ensina?

— A prece fio já conhece, agora o fio deve começar a fazê-la direcionando-a não mais apenas pela memória, mas pelo pensar e pelo coração. Suncê ta pronto?

— Sim senhor!!!

— Então vamos: feche os olhos, relaxe o corpo, esvazie sua mente, concentre-se nas batidas de seu coração e chame Deus para junto de si conectando-se a Ele através da seguinte prece:

“Pai nosso que estais no céu,
santificado seja Vosso nome,
venha a nós o vosso reino,
seja feita a Vossa vontade,
assim na terra como nos céus…”


Texto escrito por Pedro Rangel.



Copiei esse texto há um tempo atrás, trata-se de uma psicografia de uma Preta Velha, através de uma médium do Centro Espiritualista Caboclo Pery. Gostaria de dividir com todos os simpatizantes e adeptos da Umbanda. Aproveitando que estamos chegando às festividades de Pretos Velhos, vamos refletir juntos sobre a mensagem da Vovó Luíza da Bahia.

Esperança de uma Preta Velha


Vovó Luiza da Bahia
Médium Elizabeth Caetano Drumond – Psicografado em 30/04/2008



Fios,
Véia veio aqui hoje prá falar de Amor, Caridade e Humildade!
Sabe fios, Véia tem cutado muito os fios pidindo prá ser mais humilde, pidindo desculpa por ter falado um não pros irmãos, pidindo desculpa por não ter dado valor a famía enquanto estavam tudo carnado.
Véia quer fazê falador prá tudo suncês entender que quando os pedidô e os desculpador não vem do coração puro e verdadeiro que todos suncês pode ter, num dianta, fios.
É fácil fazer rezador quando a noite cai e achar que tudo tá resovido, o difíciu fio, é acordar depois e consegui amar a todos como o Pai Maior ensinou, é ajudar um desconhecido quando ele fazer precisador.
Suncês acham que fazer Caridade é só com amigo e família?
Isso é fáciu né fio?
É fáciu fazer rezador pro inimigo pedindo paz e luz, mas se o inimigo fazer ou falar alguma coisa que num é do agrado de suncês, suncês tudo esquecem do que pediu prá esses irmãos, se num é de coração num dianta.
Muitas vezes fio, suncês são seus próprios inimigos.
Suncês já fizeram pensador que muitas vezes suncês dão poder e força pros irmãos que nem faz mais pensador em suncês?
Sabe como tudo suncês fazem isso?
Lembrando todos os dias desses irmãos, falando todos os dias desses irmãos, julgando todos os dias esses irmãos.
E sabe o que é o pior fio? Muitas vezes suncês tiveram culpa das tristezas de seus corações.
É fáciu né fio culpar sempre alguém pelos seus erros, quedas e tristezas?
Porque os acertos fios, suncês levam o troféu suzinhos, às vezes fiu, suncês até falam que um irmão ajudou na vitória, mas se num fosse suncês não teria sido tão perfeito. Isso fio, é falsa humildade! Fio, cadê a Caridade? Cadê o amor com os irmãos?
“Amai vos uns aos outros como eu vos amei”. Suncês lembram quem falou isso? Foi o Pai Maior!
E sabe o que Véia tem prá falar? Nada nesse mundão acontece ou deixa de acontecer que não seja da vontade de Nosso Pai.
Orai e Vigiai, fios.
E nada nesse canzuá acontece ou deixa de acontecer que não seja da vontade do meu irmão Pery.
Que por mais erros, desvius e quedas que suncês passam, ele está sempre respeitando a vontade de cada um de suncês e sempre está de coração aberto pra tentar acertar e levantar tudo suncês.
E nós tudo estamos juntos ao seu lado prá pudê encaminhar cada problema prá direção certa.
Fios, quando suncês acordarem todos os dias agradeçam a nós não, e sim ao Pai Maior, por estarem encarnados e terem a oportunidade de resgatar seus carmas.
Como Véia sempre diz, só podemos ajudar se for do nosso merecimento e do merecimento de cada um de suncês, e somente se o Pai Maior quiser e achar que nós podemos ajudar.
Olhe prá um irmão como se fosse suncês. Não julguem para num serem julgados. Mas escutem sempre, pra sempre poderem  ser escutados.
Reconhecer seus erros e injustiças é ser Humano, é ser Umbandista. Abaixar a cabeça e chorar não é vergonha não fio, é ser humilde.
Nêga Véia si dispedi com esperança de que cada um que leu esse papel tenha entrado um puquinho de irmandade dentro do coração de cada fio dessa cá Terra.
Que meu Pai Oxalá abençoe tudo suncês, que minha Mãe Oxum os cubra com seu manto pra que os inimigos não os enxerguem.

Saravá todo povo da Bahia!
Saravá todo povo de Congo!
Saravá todo povo de Mina!
Saravá todo povo de Angola!
Saravá todo povo de Nagô!
Saravá Umbanda!
 
Mensagem canalizada por Isa Mar em 12 de Dezembro de 2010
 TOLERÂNCIA
Saravá meus fios
 
Nego véio ta aqui hoje pra falá num assunto que oceis vive trupicando.
 
Quantos de oceis sabe usá a tolerância com seus irmão?
 
Vivem de lá pra cá e de cá pra lá com suas mesquineis querendo que todo mundo enxergue o que oceis tão enxergando.
 
Esquecem que um dia foram igual eles e não queriam nada com nada.
 
O que acham que tão fazendo aqui nessa terra? Qual o trabalho de oceis? Num é justamente sê os mostrador de caminho?
 
Pra que acham que despertaram? Só pra se preocupá com suas coisa e deixá que o resto se estrumbique?
 
Se tão aqui ainda é porque não terminaram o que vieram fazê senão já tinham ido embora num é mesmo?
 
Então meus fios, oceis tem que dá o exemplo, num adianta só ficá falando e falando e na hora do vamu vê meterem os pé pelas mão.
 
Depois que fazem a porcaria num adianta ficá chorando, feiz ta feito, tem que se preocupá em acertá da próxima veiz.
 
Quando oceis dão de cara com os irmão ainda ignorante das coisa do espírito, se não podem ajudá faiz uma oração, pede que as bênção divina toque o coração deles.
 
Oceis sabe o que acontece quando ficam com raiva e implicando com esses irmão? Oceis vibra que nem eles, e decem lá pras profundeza dos pensamento indigno de luz.
 
Ninguém consegue convencê ninguém de nada e nem enfiá guela abaixo nenhuma verdade.
 
As verdade de cada um são diferente e oceis tem que respeitá e não ficá procurando encrenca e nem xingando.
 
Nego veio vê a falta de respeito entre oceis e fica pensando que tão agindo pior que bicho, porque bicho só ataca pra comê e demarcá território, mais isso é instinto animal.
 
Oceis falta com o respeito com seus irmão e ainda se dizem estudado, imagine se num fosse.
 
Nego veio fala tudo errado, não estudô, não aprendeu a falá bunito, mais também não fala coisa feia pra ofendê ninguém.
 
Nego veio num fica rogando praga em ninguém, nego veio não faiz maldade só pra vê o outro se ferrá como oceis diz e nego veio não fica competindo com outros nego véio pra vê quem sabe mais.
 
Nóis aqui é tudo irmão e dividimo tudo que sabemo, num precisamo ficá se mostrando, ficá se ixibindo como oceis faiz.
 
Oceis tudo tem um grande trabalho nesses blog aí, mais muitos usa isso pra se promovê e essa fia aqui muitas vezes pensa em largá tudo porque acha que num tá valendo a pena.
 
Essa fia também faiz coisa errada, pensa errado, mais sempre depois procura voltá pro caminho, porque sabe sê humilde mesmo quando nóis aqui dá umas lambada nela, as veis ela xinga um monte, mais nóis sabe que ela tem vontade de aprendê o certo e por isso nunca deixamo ela.
 
 
Assim é com todos os fios, ninguém fica jogado, mesmo quando tão doente, tão desanimado, nóis tamo cuidando, só que os fio ainda não aprenderam que se passam por tanto sufoco é por culpa deles mesmo, porque ainda num aprenderam a fazê as coisa direito.
 
Aí ficam culpando Deus que não cuida, que não dá o que eles qué, mais não enxergam que tudo só depende de cada um e Deus não tem nada a vê com isso.
 
Essa fia num sabe muito bem escrevê como nego veio fala, ta fazendo como pode e nóis queria isso mesmo, vê se ela ia escrevê ou se ia deixá de lado... ou fazê com as palavra dela.
 
Nego véio tem muita pacência e tá esperando faiz dias pra falá, e se num desse num ia fazê mal, nego véio num liga, se pudé ajudá ajuda, se num pudé tá bão tamém.
 
Essa mensage é pra duas coisa: pra pedi pra oceis cuidarem mais com o que diz pros seus irmão e pedi pra terem mais pacência com os que ainda não sabe as verdade que oceis já sabe.
 
Lembrem meus fios, muitos de oceis tão aqui pra ajudá os que ainda não sabem o que fazê, que tão perdido nos caminho da vida, precisando duma luz, duma palavra, dum alento, dum amigo pra chorá as mágoa.
 
Num deixe que o que oceis aprenderam até aqui fique guardado num baú criando teia, dividam com seus irmão, não liguem pros que te chamam de atordoado das idéia, eles só fazem isso porque tão perdido e precisando de ajuda.
 
Nego veio já vai indo mais antes qué dizê que num precisava falá assim tudo errado, mais feiz isso pra vê até onde vai a fé dessa fia e dos fio que vão lê isso tudo.
 
Nego sabe da vergonha que muitos tem e qué sabê como vão reagi depois dessa mensage
 
Dispois mais acolá nego veio vai revelá proceis quem é... he he he...
 
Saravá meus fios, que as bênção de Aruanda se derrame nas cabeça e nos coração de oceis
 
Nhô Chico Bento

Com a permissão do nosso Amado Pai e Criador, o Senhor Deus, e do Sagrado Pai Obaluaiê,
Salve a Luz! Salve os Sete Sentidos da Vida! Salve o Sagrado Pai Oxalá! Salve Nossa Senhora da Guia! Salve os Pretos Velhos!
Que a grandeza da Umbanda sirva de farol em vossas caminhadas!
Filhos, vossas caminhadas podem ser diferentes, mas no final das contas os caminhos são os mesmos e nos levam a uma só direção: o nosso amado Pai e Criador, o Senhor Deus...
O filho pode estar caminhando no sentido da Fé, mas os caminhos dos sentidos e instintos se cruzam, e em certos momentos, o filho vai ter que passar pelo caminho do Amor, Conhecimento, etc... até mesmo para se desviar das armadilhas do egoísmo, maldade, desunião, ódio... para só então retomar a sua caminhada no sentido da Fé, por exemplo.
A Evolução dos seres é como uma estrada cheia de encruzilhadas, e às vezes os filhos preparam armadilhas contra si próprios, escorregando e caindo, ou estacionando em sua caminhada.
O caminho da Evolução pessoal não é como um paredão de pedra onde os filhos precisam escalar em sentido reto, como muitos imaginam... ele se parece com uma grande montanha, cortada por estradas em sentido espiral, pois a Evolução acontece com o tempo. Nesta montanha encontramos algumas pedras e cascalhos, e devemos nos atentar para não pisar nelas, escorregar e acabar descendo alguns níveis antes de conseguir retomar o prumo novamente.
Alguns filhos se perguntam (e se lamentam muitas vezes, o que é pior...) o porquê de alguns irmãos caminharem mais depressa que eles, ou e encontrarem menos obstáculos em seus caminhos: "Por que só chove em minha trilha, se vejo meu irmão seguindo trilha ensolarada?" Por que as dificuldades só aparecem no meu caminho?"
A Providência Divina está atenta a tudo o que acontece com cada forma de vida neste Universo... o Pai não descansa nunca...
Por esta razão as dificuldades servem para "frear" a nossa imaturidade e nos preparar melhor para chegar em segurança, cheios de confiança e equilíbrio em nosso destino.
Que Deus abençoe cada um de vocês...
            Vovó Maria da Bahia

 
Vou contar-lhes uma pequena estória para auxiliar-vos na reflexão que quero passar.
Refletir é olhar para dentro de Si, sem julgamentos, sem culpa, sem auto-condenação... Mas com sinceridade, indulgência e tolerância. Perceber no seu mundo Interior aquilo que ainda contribui para que você ainda recaia nos mesmos erros.
Então, meus Filhos, Reflitam! Reflitam!
 
Era uma vez dois vizinhos, vamos chamá-los de João e Lourenço, tendo suas casas separadas por uma pequena cerca.
 
João vivia a cuidar do jardim de sua casa. Jardim que se mostrava sempre multicolorido com as mais belas flores. Eram margaridas, rosas, girassóis... Os pássaros, as abelhas, insetos eram presenças constantes. Ali sempre se via João a regar as flores, retirando ervas-daninhas... Enfim, cuidando do seu jardim.
Na casa de Lourenço não se percebia a mesma coisa. Seu quintal era tomado por um matagal, as flores não sobreviviam, pois não podiam competir com a variedade de ervas-daninhas. Lourenço não se importava e não se dispunha a tirar um tempo para cuidar de seu quintal.
João começou a se preocupar com aquilo e decidiu chamar a atenção de Lourenço. Não suportava ver aquele quintal tomado pelo mato e seu vizinho não fazer nada. No fundo não admitia que essa era a escolha de Lourenço.
Deixou suas flores e foi até a cerca e ficava horas tentando convencer Lourenço a ter mais zelo com sua casa, seu quintal. Passaram os dias e ele ali insistindo, tentando convencer Lourenço que não dava ouvidos, achando-o um chato.
Quando João desistiu de tenta convencer seu vizinho, levou um grande susto ao voltar-se para seu próprio quintal, pois este tinha sido tomado pelo mato e ervas-daninhas, sufocado as flores que morreram todas. Seu quintal tornou-se pior do que do seu vizinho.
Enquanto perdia tempo preocupado com o quintal do outro, tentando ajudar quem não lhe pediu ajuda, esquecia de olhar e cuidar do seu próprio jardim.
Não podemos inverter nossos papéis. Se João continuasse com amor e dedicação a cuidar de seu jardim, chegaria o dia em que a harmonia dele seria tão grande que tocaria seu vizinho ao ponto deste vir lhe pedir ajuda para harmonizar seu. Mas, o que aconteceu, é que João, o vizinho cuidadoso, mas descuidado, foi envolvido pela desarmonia de Lourenço, pensando que estava ajudando-o.
Meus Filhos, quanto mais cuidamos e iluminamos nossa Vida, mais tocaremos os outros, que nos buscarão no momento oportuno.
Quando preocupam com a vida dos outros, passam a querer que o outro viva como vocês gostariam, muitas vezes até vivem a vida dos outros e esquecem de viverem vossas próprias Vidas, sufocando assim, vossa própria Luz.
Busquem ocupar-se com vossas Vidas. Busquem Viver vossas vidas, essa é a melhor ajuda que vocês podem dar aos outros.
Quero enfatizar para aqueles que buscam vivenciar a espiritualidade. Ouçam: se o outro não está vivenciando sua Espiritualidade como você acha que é o correto, da forma como ele está aprendendo...Deixe-o, essa é a vida dele, a escolha dele. A Luz não escolhe, mas separa aqueles que já fizeram suas escolhas.
Se parares para observar e julgar a forma do outro conduzir sua espiritualidade, estarás esquecendo de viver e cuidar da sua.
Espero que todos possam me compreender, pois se venho falar, é por AMOR, SIMPLESMENTE POR AMOR.
Reflitam, meus Filhos! Reflitam!
Que a Luz do Cristo e da Virgem Maria iluminem vossas mentes e vossos corações!
Pai Tomé, por Claudiney Rosa.

Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Google-Translate-Portuguese to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese

Rating: 3.1/5 (327 votos)



ONLINE
1




Partilhe este Site...